Fortaleza Esporte Clube

Atacante das Leoas e artilheira da equipe no Campeonato Brasileiro Feminino A2, Mariana Andrade foi convidada pela Volkswagen para participar do evento “We drive gender equality and diversity” que tem como ideal reunir pessoas de todo o mundo para palestrar e trocar ideais sobre o mundo em que vivemos. Mariana viajou para a Inglaterra no dia 13 de julho e retornou na última segunda-feira (18), estando disponível para a última rodada da primeira fase do Brasileiro A2, neste sábado (23), às 15 horas, em Maceió, contra a equipe do UDA-AL.

+Seja sócio! Seja sócia! Reforce as Leoas para ficarem cada vez mais fortes+ Assine OnLaion por R$8,40 e tenha acesso imediato

Foto: Divulgação/FortalezaEC

Mariana Andrade vem de um bairro paulista marcado por conflitos violentos entre gangues e a polícia. A atleta se tornou mediadora de conflitos ativa da Rede Paulista de Futebol de rua, tornou-se porta-voz representante da rede de jovens terre des hommes Internacional e trabalhou como educadora social nas comunidades carentes de São Paulo. Sua atuação com direitos humanos contribuiu para convites de diversos projetos, escolas, dentre outros, para que ela ensinasse a metodologia que a transformou. Sua incidência politica se deu também através de convites de parlamentares do congresso da Alemanha, que tinham como foco entender os desafios de ser uma jovem, negra, lésbica, periférica e jogadora de futebol, no Brasil.

Foto: Lucas Emanuel/FortalezaEC

Para a atacante, a experiência de poder se expressar para pessoas de outros lugares e culturas foi bastante proveitosa. Ela foi convidada para acompanhar a partida entre Finlândia e Alemanha pela Eurocopa Feminina. 

– Foi muito importante participar da campanha “we drive gender equality and diversity”, pois ela fala sobre as possibilidades e oportunidades, que acontecem através da promoção de projetos sociais esportivos para as meninas de todo o mundo, a qual eu fiz parte desde 2015, através do programa “A chance to play”, sendo acolhida em um espaço que cria liberdade e acesso a atividades lúdicas seguras, com esportes e ofertas culturais. Pude levar a minha história a esse evento importante e falar sobre a transformação que isso causou em mim, quanto participante do projeto, alcançando após a minha participação, acesso a espaços e lugares de representatividade, assim sendo porta voz das violações de direitos nas periferias, causando também uma incidência política internacional. – comentou a atleta.